Google+ Followers

terça-feira, 5 de julho de 2016

Pentateuco Espírita - 2º Ciclo

Com o objetivo de apresentar Allan Kardec como Codificador da Terceira Revelação e o Pentateuco como um conjunto de obras que contém os fundamentos desta revelação, a Verônica Carvalhal iniciou sua aula perguntando se os evangelizandos tinham ouvido falar de um francês, já desencarnado, chamado Allan Kardec.

Explicou que Allan Kardec foi professor de matemática e grande estudioso da Doutrina, no início não tinha nenhum vínculo religioso, mas cientifico, por isso ele estudou, organizou e selecionou perguntas a serem feitas aos Espíritos. Kardec analisou e comparou as respostas enviadas de outros lugares que também estavam estudando a doutrina e este estudo ele transformou em 05 livros, e por esse motivo ficou conhecido como o CODIFICADOR da Doutrina Espírita. (Mostrou os livros e deixando que pegassem e folheassem).

Contou que estes cinco livros formam o que chamamos de PENTATEUCO ESPÍRITA, e que Allan Kardec é um pseudônimo que ele usava, na verdade seu nome de batismo era Hipollite Leon Denizard Rivail.

A medida que foi explicando as características de cada um dos livro que foi publicado com as instruções dos Espíritos Superiores, entregou o livrinho correspondente.

Livro dos espíritos - 1857: A primeira obra a ser publicada. O Livro dos Espíritos é a pedra fundamental da Codificação Espírita, nele estão contidos todos os princípios fundamentais do Espiritismo e as demais obras básicas foram todas coordenadas a partir dele, por isso entre elas há uma inteiração muito forte e lógica. 




O Livro dos Médiuns - 1861: A segunda obra ser publicada, fala sobre a comunicação com os espíritos, seu objetivo consiste em indicar os meios de desenvolvimento da faculdade mediúnica, tanto quanto o permitam as disposições de cada um, e, sobretudo, dirigir-lhe o emprego de modo útil, quando ela exista. 




O Evangelho Segundo o espiritismo – 1864:  A terceira obra a ser publicada e fala exclusivamente sobre o ensinamento moral do indivíduo, pois esse código divino “é, acima de tudo, o caminho infalível da felicidade esperada”. Baseado em instruções de Espíritos Superiores, sempre registradas nos finais dos Capítulos, Kardec explica as máximas morais de Jesus, convidando-nos a vivenciá-las no nosso dia-a-dia. Expondo com clareza e simplicidade à razão e ao coração.   




O Céu e o Inferno (Ou A Justiça Divina segundo o espiritismo) – 1865:  Quarta obra a ser publicada e fala da vida depois da morte, sobre a passagem da vida corporal (encarnado) para a vida espiritual, sobre as penalidades (quando vivemos de modo que desagrada a Deus e a Jesus) e as recompensas (quando praticamos o amor e a caridade). 




A Gênese – 1868: Quinta obra a ser publicada e fala sobre a criação do Universo, a formação dos mundos, dos astros e planetas o surgimento do espírito, segundo a doutrina espírita, os milagres. Descreve os feitos de Jesus Cristo. Também mostra o processo espiritual e físico da criação da Terra, que compõem o Universo.




Lançou o seguinte questionamento: “O que a Doutrina Espírita nos ensina?”
Esclareceu:
Deus é nosso Pai. Ele é único, justo e bom.
Jesus é nosso irmão. Ele é o modelo de amor a ser seguido.
A nossa vida não termina aqui na Terra, pois somos Espíritos eternos.
Os Espíritos que estão no Plano Espiritual podem se comunicar conosco através da Mediunidade.
A prece é uma forma de conversarmos com Deus e com os Espíritos amigos.
Existe a Reencarnação, ou seja, podemos nascer novamente, para aprendermos cada vez mais.
No universo existem muitos mundos habitados.
Fazer o bem é o melhor caminho para sermos felizes!

Levou casinhas de isopor prontas para que os evangelizandos decorassem seguindo o modelo que ela levou:





Base -> Livro dos Espíritos
Paredes -> Livro dos médiuns
Janela ->  Gêneses
Porta -> O céu e o Inferno
Telhado -> O Evangelho Segundo o espiritismo





















Atividade de fixação:
Caça palavras sobre a base da doutrina espírita.






Nenhum comentário:

Postar um comentário