Google+ Followers

segunda-feira, 19 de junho de 2017

A Luva da Caridade - Combatendo o Egoísmo

Quando analisamos o perfil dos nossos evangelizandos, observamos que os pais destacavam como dificuldade de muitos deles o egoísmo: não dividir, não emprestar, não ceder, bem típico dessa faixa etária. Assim escolhemos outro acessório para trabalhar com eles, a Luva da Caridade.

Explicamos que falaríamos de mais um dos acessórios que nos auxiliam em nossa evolução, a Luva da Caridade. Colocamos a luva na mão direita e lembramos que nossa mão é uma preciosa ferramenta de trabalho e que a Doutrina Espírita nos fala que “Fora da caridade não há salvação”, que devemos usar a luva da caridade em nossas mãos todos os dias, para fazer o bem ao próximo, para garantir que a nossa mão faça tudo sempre com amor. Temos que lembrar, assim que acordarmos, de colocar a luva da caridade na nossa mão.
Questionamos: Como vocês podem usar suas mãos de forma caridosa? Ouvir um a um. Fazer carinho, ajudar o amigo, molhar a plantinha, dar água para o cachorro, etc. 
Questionamos: mas é somente usando nossas mãos que podemos ser caridosos? Não, também podemos ser caridosos quando deixamos nosso egoísmo de lado e passamos a tratar nosso próximo com o amor que gostamos de ser tratados. Falando palavras agradáveis, repartindo o que temos com quem não tem, respeitando as pessoas que convivem conosco, ajudando os outros em suas necessidades, compreendendo, sendo pacientes, esquecendo as ofensas ou não nos ofendendo com as palavras e as atitudes dos outros.
Precisamos exercitar a caridade. Se conseguirmos praticar alguma dessas coisas pelo menos uma vez ao dia, estaremos exercitando a caridade que há em nós.
Qual é o primeiro lugar em que devemos praticar a caridade? É dentro do nosso lar, com os nossos familiares, com pequenos gestos, que precisamos começar. Quem pode dar um exemplo de caridade que praticamos em nosso lar? Ouvimos e nem precisamos acrescentar pois deram como exemplo – usar sempre as palavrinhas mágicas (quais são? Por favor, com licença, obrigado(a), me desculpe), ajudar nas tarefas de casa, respeitar os outros (aqui questionamos, e como podemos respeitar os outros? Incentivamos respeitando os direitos das pessoas que convivem conosco por exemplo: quando alguém que ver um programa na TV, se tiver deitado no sofá sentar para que outro possa sentar também,  aceitar quando o adulto disser não, não brigar com os irmãos e primos, não ficar irritado quando não fizerem o desejamos) foi legal que a medida que fomos conversando, eles foram dando exemplos, contando quando agem de forma caridosa e quando não agem, reconhecendo suas dificuldades.

Propomos então uma atividade, para ver quem já sabia usar a luva a caridade. Mostramos figuras de crianças fazendo coisas boas e ruins.






Perguntamos individualmente se quem usa a luva da caridade praticava ou não aquela ação, pedindo que justificassem. Depois que todos os evangelizandos participaram respondendo, distribuímos as figuras das boas atitudes para que colorissem. 

Cada um recebeu uma luva, eles quiseram colorir também.


A figura colorida foi colada na palma da luva.



Cada evangelizando também recebeu uma luva descartável e colou com fita dupla face um coração com a seguinte frase: “Luva da Caridade. Eu uso.”





terça-feira, 13 de junho de 2017

Vamos Ficar Nutridos! - Atividade

Fixamos na parede um cartaz com dois contornos do corpo humano, um feito de cartolina, representando o nosso corpo e o outro feito de papel seda, representando o nosso espírito. 





Em uma caixa, disponibilizamos figuras de alimentos para o corpo e para o espírito.








O objetivo dessa atividade foi fazer os evangelizandos refletirem que nem todos os alimentos nutrem, e somos nós que escolhemos o que vai nos alimentar.

Assim, cada evangelizando retirou da caixa uma figura representando um alimento, avaliou se o alimento nutria ou não o corpo/espírito, descartou o alimento que não nutria e colou o que nutria no contorno corpo/espírito do cartaz.


E o nosso cartaz ficou assim...





O Cantil da Alegria – É Importante Nutrir o Corpo e o Espírito

É muito interessante observar que nada acontece por acaso. Nosso trio de evangelizadoras estava com dúvidas sobre qual tema escolher para trabalhar nas aulas de tema livres dos dia 03, 10 e 17 de junho/17. 

Primeiro veio a ideia de usar o vídeo "A Grande Viagem" na preparação do resgate dos princípios básicos, e quando o vídeo estava sendo projetado na sala, tivemos a ideia, ao mesmo tempo, de trabalhar a história e alguns dos acessórios da maleta.

Quando fomos analisar o perfil dos nossos evangelizandos, observamos que grande parte deles tem dificuldade para se alimentar de forma saudável e de provar novos alimentos. Assim escolhemos o primeiro acessório, o Cantil da Alegria, que fazia referencia a nutrir o espírito.

Logo veio o tema principal da aula "É importante nutrir o corpo e o espírito". E as ideias foram fluindo para levar os evangelizandos a perceberem que o nosso corpo e o nosso espírito necessitam de bons alimentos para se manterem nutridos e saudáveis. E a aula ficou linda!

Iniciamos a aula relembrando que na semana passada, nós ouvimos a história do Beto, e vimos que quando reencarnamos, trazemos em nossos corações alguns acessórios que nos auxiliam em nossa evolução. E que nessa aula íamos falar sobre um desses objetos, o Cantil da Alegria. 




Mostramos o cantil para os evangelizandos e recordarmos: 
Para que serve mesmo o cantil? Para levarmos água quando vamos a um lugar que não sabemos se terá água. 
E a água é importante para o nosso corpo? Sim, pois se a gente não beber água, nosso corpo desidrata e ficamos doentes, podemos até desencarnar. 
Por que a alegria é um alimento importante para o nosso espírito? Porque assim como nosso corpo precisa de água, nosso espírito precisa de alegria para realizar tudo o que desejamos, pois quanto mais alegria nós tivermos, mais forte estaremos! 

Quem sabe o que é alimento? Alimento é tudo aquilo que ingerimos (comemos e bebemos). Depois que ingerimos, o nosso corpo processa os alimentos e os transforma em combustível que move o nossos músculos. Tudo o que ingerimos passa pelo processo de digestão e se transforma, parte vai ser usado como energia e outra parte será incorporada às nossas células e farão parte do nosso corpo para o resto da vida. Então precisamos ter muita atenção com os alimentos que ingerimos.

Com o nosso espírito acontece a mesma coisa, parte do alimento que ele recebe vira energia e outra parte se incorpora ao espírito e fará parte dele para o resto da vida, ou seja, infinitamente, pois o espírito é imortal. Quando frequentamos a evangelização, estamos alimentando nosso espírito, esse alimento vira energia que fortalece nossa vontade de fazer coisas boas, quando o que aprendemos o que estudamos aqui, esse aprendizado passa a fazer parte do nosso espírito, ninguém mais poderá tirar dele, pois vamos sempre fazer uso desse aprendizado em nossa vida.

E Jesus nos ensinou uma oração muito especial, o “Pai Nosso”, nessa oração tem um trecho que fala “o pão nosso de cada dia nos dai hoje”. Com isso, Jesus quis nos mostrar que precisamos alimentar todos os dias o nosso corpo e também o nosso espírito. Mas basta somente alimentar? Não, nosso corpo e nosso espírito precisam de uma boa alimentação para ficar bem nutridos. 
Vocês acham que qualquer água serve para ser bebida? Não, a água para ser bebida precisa ser livre de impurezas, filtrada, fervida. Mas se eu quiser eu posso abrir a bica e beber a água? Sim, posso, mas nessa água pode ter impurezas que irão me fazer mal, eu posso ficar doente. 

E em relação ao alimento, qualquer alimento serve para nutrir nosso corpo? Não, precisamos de alimentos saudáveis, podemos comer qualquer alimento, mas nem todos nos farão bem. 

Os ensinamentos de Jesus representam a água filtrada que nutri o nosso espírito, quando esteve entre nós Ele disse “Se alguém tem sede, venha a mim e beba.” “Aquele que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede". Os ensinamentos de Jesus também representam o alimento saudável que nutri o nosso espírito, quando esteve entre nós Ele disse “Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome”. Ou seja, quando aprendermos seus ensinamentos, nunca mais faremos nada errado.

Assim como nós escolhemos qual alimento vamos comer para alimentar o nosso corpo, nós também podemos escolher qual o alimento vamos comer para alimentar o nosso espírito.




Por exemplo, quando comemos doces ficamos agitados, podemos ter dor na barriga e nossos dentes podem ficar careados. Quando vemos um filme de terror, ficamos com medo, não conseguimos dormir direito, temos pesadelos. 
Vamos ver se vocês entenderam? Aplicar a atividade abaixo.

Aplicamos então a atividade "Vamos Ficar Nutridos!"


segunda-feira, 5 de junho de 2017

Qual acessório usar?

Colocamos figuras dos acessórios sobre a mesa.




Explicamos que cada um deveria retirar do saquinho um papel com uma situação que foi lida para que identificassem qual o acessório da mala deveria ser usado naquela situação. Ajudamos quando tiveram alguma dificuldade, mas na maioria das vezes os próprios amiguinhos da turma ajudaram com a resposta.  Depois da resposta do acessório correto, complementamos com a razão do uso o mesmo e quem respondeu pegou a figura do acessório correspondente.


Minha evangelizadora está ajudando meu amiguinho a cortar a figura que ele coloriu para colar no cartaz e eu estou precisando de ajuda para cortar a minha, nesse momento eu preciso usar.... a chave da paciência, para esperar ela terminar e me ajudar, pois se eu não esperar, posso cortar errado e estragar meu desenho. 



Na aula de hoje a evangelizadora falou uma palavra que eu não sei o que significa e por isso eu não consegui entender nada do que ela estava explicando, se eu perguntar a ela o significado, estarei usando... a lanterna da verdade, que me ajuda entender o que ela falando, aumentando o meu conhecimento.



Quando a evangelizadora foi pegar o caderno que estava em cima da mesa, ela viu que ele estava todo rabiscado, ela perguntou quem foi que rabiscou o caderno, eu vi meu amigo mexendo no caderno, mas eu não vi ele rabiscando,  nesse momento eu preciso usar... os óculos da justiça, para não acusar meu amigo injustamente.



Meus amigos resolveram fazer uma brincadeira de mal gosto, passaram cola na cadeira de uma menina da nossa sala, eu não concordei com a brincadeira e não sabia o que fazer. Pensei em tudo que já aprendi com Jesus e resolvi contar para a professora, ela me disse que fiz muito bem, trocou a cadeira e não falou que fui eu que contei para ela, nesse momento eu usei... a bússola do bem, que me indicou qual o melhor caminho a seguir, mostrando o que devia fazer. 



Hoje a evangelizadora perguntou quem briga com o irmão, eu não levantei a mão. Eu pensei bem e reconheci que ainda brigo com o meu, mas sei que não devo brigar e tenho que mudar, nesse momento eu estou usando... o espelho da consciência, que me ajuda a ver as minhas imperfeições e tentar melhorar.



Eu venho para a evangelização porque minha mãe me obriga, eu queria mesmo era ficar em casa jogando videogame, mas no tempo que estou aqui, presto atenção em tudo que as evangelizadoras falam e aprendo muita coisa legal, eu já sei usar... o relógio da disciplina, pois mesmo vindo sem vontade, aproveito o meu tempo aqui para aprender!



Minha avó estava vendo no jornal muitas notícias ruins, e falou para mim “esse mundo não tem mais jeito, estamos perdidos com tanta maldade”, mas eu acredito que tudo pode melhorar, só depende de nós, para isso eu preciso usar... o capacete da esperança, para ajudar a construir um mundo melhor.



Vai ter uma apresentação para os pais e eu vou ter que cantar, mas eu tenho medo de não conseguir cantar direito, não quero participar. A minha evangelizadora disse que eu não preciso ter medo, é só eu me lembrar de usar... a capa da coragem, que me ajuda a perder o medo de pelo menos tentar.



Vai ter uma apresentação para os pais e todos terão que cantar, eu já conheço a música, mas tenho muita vergonha de cantar para muita gente, resolvi ajudar ensinando os meus amigos a cantarem, nesse momento eu vou usar... o guarda chuva da bondade, pois se cantarmos todos juntos, não ficarei com tanta vergonha assim.



Um novo amiguinho começou a frequentar a evangelização, como ele não conhece ninguém, sentou sozinho e ficou muito calado, eu resolvi me aproximar dele e convidá-lo para sentar perto de mim nesse momento eu estou usando... a fita da fraternidade, que une e aproxima as pessoas.



Perdi meu brinquedo favorito, estou muito triste, não tenho vontade de fazer nada, só de chorar, mas sei que preciso me alegrar e continuar fazendo tudo normalmente, nesse momento eu preciso usar... o cantil da alegria, para nutrir meu espírito e me fortalecer.



Minha amiga está muito triste porque perdeu seu brinquedo favorito, eu me aproximei dela, dei um abraço bem apertado e depois fiz um desenho bem bonito para ela, nesse momento eu usei... a luva da caridade, usando minhas mãos como ferramentas de amor ao próximo.



Todos os dias eu reconheço o quanto sou pequenino diante do Universo que Deus criou, e agradeço, em prece, todas as coisas boas que acontecem em minha vida, nesses momentos eu uso... a luneta da humildade, reconhecendo que sou pequenino mas muito amado por Deus.



Na sala tem um amigo que está sempre sério, não fala com ninguém, por isso ninguém quer ser amigo dele, outro dia ele estava abraçando e beijando a irmãzinha dele com tanto carinho, que eu logo lembrei que temos que usar... a lupa do amor para enxergar o que as pessoas tem de melhor.



Tem um amigo na evangelização que sempre quer usar o lápis de cor que eu estou usando, mesmo quando tem outro lápis da mesma cor, ele quer usar o que está comigo. Como eu não gosto de confusão, eu dou o lápis para ele e pego outro, pois já aprendi a usar... a bandeira da paz, pois a paz no mundo começa em mim, com minhas pequenas ações no dia a dia.



Quando todos haviam participado, puderam colorir seu acessório e depois colar na mala que foi fixada na parede.





A atividade também foi muito legal! Eles adoraram a aula! Pena que não deu para fazer uma maleta para cada um.


A Grande Viagem - História

Contamos a história de Beto, usando a maleta confeccionada em 2013 como recurso.

Hoje vamos ouvir a história do Beto, um simpático garoto, que vivia muito alegre em um lindo lugar chamado Recanto da Paz. Beto tinha uma professora chamada Ana, com ela, Beto aprendia muitas coisas.

Em um dia muito especial, Ana, contou para Beto que era necessário que ele fizesse uma grande viagem, uma viagem para o Planeta Terra.

Ana falou da importância dessa viagem e explicou que a Terra é uma Escola e que lá Beto aprenderia muitas lições. Ele seria recebido por uma família que lhe daria muito amor, proteção, segurança, e seus pais, seriam os seus novos educadores. Ah! E uma coisa muito importante, Beto seria acompanhado por seus amigos do Recanto da Paz, que seriam seus mentores, assim, ele nunca estaria sozinho. 

Para essa viagem, Beto recebeu um presente muito especial, uma maleta! (pegamos a maleta)





Ana explicou que dentro da maleta estavam acessórios importantes, que cada um deles tinha um grande ensinamento, e que caberia a Beto fazer um bom uso de cada um daqueles acessórios.

Contamos que todos nós também recebemos uma mala como aquela quando reencarnamos aqui na Terra. Abrimos  a maleta, retiramos um a um os acessórios, interagindo com os evangelizandos e explicando cada um deles.

A Chave da Paciência (estava do lado de fora da maleta, pendurada na alça) 




Para que será que serve uma chave? Para abrir. E essa chave serve para abrir o que? Para abrir a mala. Essa é a chave da paciência. Nós temos paciência? Por que precisamos ser pacientes? Porque precisamos saber esperar o momento certo para fazer o que precisa ser feito. Quando perdemos a paciência, corremos o risco de estragar a fechadura. Precisamos ter paciência para encontrar a chave certa para a solução dos problemas e das dificuldades que surgem em nossa vida.

A Lanterna da Verdade 




Para que serve uma lanterna? Para iluminar. Quando estamos em um lugar mal iluminado conseguimos ver direito? Não, mas quando usamos uma lanterna, conseguimos ver melhor. Nós aprendemos que Deus nos criou espíritos simples e ignorantes, sem nenhum conhecimento. A luz da lanterna da verdade nos ajuda a ver melhor, a ver as coisas como elas são de verdade, ela nos dá o conhecimento, pois somente quando vemos as coisas como elas são de verdade é que deixamos de ser ignorantes. Usamos nossa lanterna quando aprendemos coisas novas, quando perguntamos algo que não sabemos, quando olhamos mais atentamente para as coisas vemos como são realmente.

Os Óculos da Justiça 





Quem aqui usa óculos? Se você(s) tirar(em) os óculos conseguem enxergar bem? Os óculos são fundamentais para que enxerguemos bem. Existem momentos em nossas vidas, que nossa vista fica embaçada e não vemos as coisas como elas realmente são. Como quando estamos na rua e uma pessoa desconhecida se aproxima de nós, quando estamos sentados perto de um amigo e algum objeto nosso some, quando alguém faz algo errado e não sabemos quem foi, mas tem um amigo que sempre faz bobagens, quando vemos um amigo fazendo uma bobagem e outro amigo é acusado no lugar dele. Não podemos julgar sem realmente saber o que aconteceu de verdade.  Para sermos justos precisamos conhecer as pessoas e os fatos com a maior clareza possível, sem julgamento precipitado. Por isso precisamos dos óculos da justiça para que possamos ser justos sempre.

A Bússola do Bem 





Para que serve uma bússola? Ela nos ajuda quando estamos perdidos. Vocês sabiam que o ponteiro da bússola aponta sempre para o norte? O norte é onde queremos chegar. E qual é o nosso norte, o nosso objetivo nessa encarnação? É o bem. Se usarmos a bússola do bem nunca nos perderemos no caminho, pois quem sabe onde quer chegar, escolhe o melhor caminho e chega mais rápido ao objetivo.

O Espelho da Consciência 




O que vemos quando olhamos no espelho? Nos vemos. Quando nos vemos através do espelho da consciência, nos conhecemos melhor, conhecemos o que pensamos e o que sentimos, temos consciência de quem realmente somos. Isso nos ajuda a ver as nossas virtudes e as nossas imperfeições, assim podemos melhorar. Nem sempre é fácil olhar no espelho da consciência, mas quanto mais tranquila estiver a nossa consciência, mas fácil será nos olharmos no espelho. E para a nossa consciência ficar tranquila, temos que fazer tudo da melhor forma que conseguirmos, obedecendo sempre as Leis de Deus.

O Relógio da Disciplina 




O nosso maior tesouro é o tempo! Cada minuto da nossa vida é muito valioso… Por isso não vale a pena desperdiça-lo! Por isso precisamos de disciplina para usar bem o nosso tempo. Precisamos aproveitar o tempo naquilo que realmente importa. O tempo é um tesouro que não se recupera. Uma vez perdido, está perdido. Como é que podemos usar bem o nosso tempo? Fazendo coisas úteis, fazendo coisas boas, aprendendo, estudando, cumprindo as Leis de Deus, etc. E o relógio da disciplina nos ajuda a fazer bom uso do nosso tempo.

O Capacete da Esperança 





Para que serve o capacete? Para proteger nossa cabeça. Esse é o capacete da esperança, que protege a nossa cabeça dos pensamentos tristes que existem no mundo, pois quando temos esperança, acreditamos que tudo na vida pode melhorar. Depende de cada um de nós trabalhar para melhorar o nosso mundo! Toda grande obra precisa de bons construtores, e o bom construtor necessita de um bom capacete. A grande obra é a melhoria do mundo, o bom construtor é cada um de nós, só precisamos acreditar!

A Capa da Coragem e O Guarda-Chuva da Bondade 





Quando está chovendo, usamos duas coisas para nos proteger, a capa e o guarda-chuva. Vocês sabiam que essa capa não é só para nos proteger da chuva de água? Pois é, essa é a capa da coragem e ela nos protege da chuva de palavras, da chuva de pensamentos e da chuva de tudo o que possa tentar nos atrapalhar a alcançar o nosso objetivo, pois ela nos dá coragem, nos ajuda a vencer o medo de tentar. E com esse guarda-chuva da bondade podemos enfrentar as maiores tempestades, pois quanto maior for a nossa bondade, maior será o nosso guarda-chuva e maior será a nossa proteção contra as dificuldades.

A Fita da Fraternidade 




Quem sabe o que significa fraternidade? Fraternidade é o sentimento bom que une as pessoas. Essa fita também serve para “unir”, pois sempre que desejamos, de todo o nosso coração, a felicidade de um amigo, é como se enviássemos até ele a ponta da nossa fita. Dessa forma, os corações amigos são unidos pelos laços da fita da fraternidade, que une, embeleza e fortalece a amizade.

O Cantil da Alegria 




Para que serve o cantil? Para levarmos água quando vamos a um lugar que não sabemos se terá água. Vocês sabiam que a água é um importante alimento para o corpo? Pois é, se a gente não beber água, nosso corpo desidrata e ficamos doentes, podemos até desencarnar. Quem sabe qual é o alimento que é muito importante para o espírito? É a alegria, assim como nosso corpo precisa de água, nosso espírito precisa de alegria. É por isso precisamos estar com o espírito “bem nutrido” de alegria, para podermos realizar tudo o que desejamos, pois quanto mais alegria tivermos, mais forte estaremos! Devemos ter sempre o cantil da alegria conosco para nutrir nosso espírito sempre.

A Luva da Caridade 




Qual parte do corpo usa luva? A mão. Para que usamos a nossa mão? (ouvir) Então, podemos concluir que nossa mão é uma preciosa ferramenta de trabalho, certo? A nossa doutrina nos fala que “Fora da caridade não há salvação”, é por isso que devemos usar na nossa mão, a luva da caridade, para fazer o bem ao próximo, para garantir que a nossa mão faça tudo sempre com amor. Como vocês podem usar as mãos de forma caridosa? Afagando um animalzinho, abraçando um amigo, levando alimento a alguém faminto, ajudando a levantar um colega, escrevendo palavras de amor, costurando um agasalho para quem tem frio, cuidando de alguém doente, etc.

A Luneta da Humildade 




Quem sabe para que serve uma luneta? Para ver o que está muito, muito longe de nós, como as estrelas. Somos simples e pequenos diante da grandiosidade do Universo, mas somos imensamente amados por Deus, nosso Pai e Criador, por isso é importante reconhecer com humildade a nossa posição de filhos muito amados por Deus. E a luneta da humildade nos ajuda, pois nos mostra como somos pequeninos diante da grandeza do Universo criado por Deus.

A Lupa do Amor 




A luneta nos mostra a imensidão do Céu, mas podemos ver o amor de Deus na pequena semente que está debaixo da terra. Essa também é uma prova do amor de Deus, nós precisamos aprender a ver o Seu amor também nas pequenas coisas. E qual o acessório que nos ajuda a ver coisas que são muito pequenas? A lupa. Assim como a terra esconde a sementinha que se transformará em uma grande árvore, o coração das pessoas também, esconde bons sentimentos que, um dia, serão transformados em belas ações. Nós normalmente vemos com os olhos do corpo, que só vê a aparência exterior. Temos que aprender a ver com os olhos do espírito, que usa o amor para ver o que cada um tem de bom. Pois somos todos filhos de Deus e no fundo do nosso coração sempre tem algo bom para ser visto. Quando usamos a lupa do amor, conseguimos ver o que há de melhor no coração das pessoas.

A Bandeira da Paz 




Todos sabem o que essa bandeira branca significa? Paz. Todos os espaços são dignos da paz: nossa casa, a rua, a escola, o Centro Espírita, os parques, enfim, todos os lugares. Algumas pessoas pensam que a paz jamais será alcançada, mas ela depende não só das grandes ações, mas das pequenas Se, no nosso dia a dia, utilizarmos todos esses os acessórios da maleta, certamente construiremos um mundo de paz! A bandeira da paz está em nossas mãos.

Sentindo-se mais seguro, Beto faz uma última pergunta a Ana. Agora que ele já sabia da importância da maleta com seus acessórios, como ele poderia levá-la na viagem?

Ana respondeu: - Em um lugar muito especial, o seu coração.

Ana explicou que os amigos do Recanto da Paz estariam sempre com ele. Mas que, no entanto, respeitariam o seu livre-arbítrio, Beto teria sempre a liberdade de escolher seu próprio caminho. Beto então, após algum tempo, nasceu na Terra em um lar onde receberia muito amor. Levava em seu coração a preciosa maleta.

Finalizamos concluindo que cada um de nós traz no coração todos esses acessórios da maleta. Todos eles estarão sempre à nossa disposição para serem usados. Em cada momento de nossas vidas um ou mais desses acessórios deverá ser utilizado. Nós temos liberdade de escolher como e quando usá-los.