Google+ Followers

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Vamos Dar as Mãos?

Entregar a cada evangelizando um contorno em 1/2 folha de papel A4. 



Pedir para cada um se caracterizar no contorno, destacando no seu bonequinho  alguma coisa que considera diferente em si, algo diferente que gostem.


Depois montar um cartaz com todos os bonecos de mãos dadas.




Estátua

Colocar a música bem alegre para tocar e quando a música parar, cada evangelizando deve fazer uma pose de estátua bem diferente, explicar que quanto mais diferente e engraçada melhor. Repetir algumas vezes, concluir, ao final da atividade, que pode ser muito legal ser diferente!

Tudo Bem Ser Diferente

Contar a história usando o livro:


- Tudo bem ter um dente a menos (Dois ou três)
- Tudo bem precisar de alguma ajuda
- Tudo bem ter um nariz diferente
- Tudo bem ter uma cor diferente
- Tudo bem não ter cabelo
- Tudo bem ter orelhas grandes
- Tudo bem ter rodas
- Tudo bem ser pequeno, médio, grande ou grandão
- Tudo bem usar óculos
- Tudo bem conversar sobre seus sentimentos
- Tudo bem comer macarrão com almôndegas na banheira
- Tudo bem dizer NÃO para as coisas ruins
- Tudo bem ter vindo de um lugar diferente
- Tudo bem ser tímido
- Tudo bem chegar em último
- Tudo bem dançar sozinho
- Tudo bem ter uma minhoca como animal de estimação
- Tudo bem ter orgulho da gente mesmo
- Tudo bem ter mães diferentes
- Tudo bem ter pais diferentes
- Tudo bem ser adotado
- Tudo bem ter um amigo invisível
- Tudo bem fazer algo legal para alguém
- Tudo bem perder as coisas de vez em quando
- Tudo bem ficar bravo
- Tudo bem fazer alguma coisa legal pra você
- Tudo bem ajudar um esquilo a colher nozes
- Tudo bem ter diferentes amigos
- Tudo bem fazer um pedido
- Tudo bem ser diferente. Você é especial e importante apenas por ser como é.


Conversar com os evangelizandos sobre cada situação apresentada pelo livro. Passar a mensagem que as diferenças não são coisas ruins, pelo contrário, elas são o que precisamos para evoluir. Dizer que ainda não somos perfeitos e falhamos (perder as coisas, ficar com raiva).  Essas coisas irão acontecer de vez em quando, pois ainda estamos aprendendo. É importante nos perdoarmos por isso, e quando acontecer, fazer uma prece pedindo força e coragem, retomando a calma para continuar evoluindo no caminho do bem, como Jesus nos ensinou.




Zoom

Imprimir a figura abaixo e cortar os nove quadrados.


Mostrar as figuras, uma de cada vez seguindo a sequência e, a cada figura, perguntar aos evangelizandos o que eles estão vendo. Quando todas as figuras tiverem sido mostrada, concluir que as figuras mostram a mesma paisagem vista por ângulos diferentes.

Dar uma figura para cada evangelizando e perguntar o que cada um está vendo na figura que está em sua mão, ouvir a resposta.
As respostas foram diferentes, mas todas não fazem parte da mesma paisagem. Então por quê cada um disse uma coisa diferente? Será que o amigo está mentindo? Não!
Por isso não devemos julgar, e sim respeitar a opinião dos outros, pois cada um vê e sente de acordo com a posição que está. Lembrar que não sabemos tudo, apenas Deus sabe! Então, quando um amigo tiver uma opinião sobre um assunto que não seja a mesma que nós, não devemos julgá-lo ou acusá-lo. Podemos sim, trocar experiências e aprender uns com os outros. Isso não significa que devemos mudar nossa opinião se não concordarmos, apenas que devemos aceitar que olhar do outro é diferente sem atacá-lo.
Montar a paisagem com as figuras em seqüência primeiro aumentando o zoom e depois diminuindo. A situação sendo contada de frente pra trás e de trás pra frente.
Misturar as figuras, pedir que cada evangelizando pegue uma. Montar um painel, pedindo que colem as figuras em sequência, formando o zoom diminuindo.


terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Bate, Rebate e Espalha - Quebra Gelo

Ao som de uma música alegre o evangelizador solicitará que todos fiquem de pé e formem duplas. As duplas, simultaneamente, tocam as mãos no ar, na altura da cabeça e fazem três movimentos:
a) Mãos abertas (palmas com palmas), de frente dizem: Bate!
b) Mãos abertas, de costas e dizem: Rebate!
c) Mãos em movimentos trêmulos, pra cima e dizem: Espalha!

Ainda ao som de uma música alegre, todos devem sair à procura de parceiros para fazer o gesto e espalhar coisas boas pelo ar. Cada participante deverá trocar de dupla, de forma que possa interagir com todos os integrantes do grupo.

Vamos animar? - Quebra Gelo

Com uma música alegre tocando todos deverão estar de mãos dadas em uma roda. Um evangelizador vai orientar a brincadeira e participar também. Quando esse evangelizador disser: “Abraço de três”. Todos começam a se abraçar em grupos de três. Depois da confusão, é bom prestar atenção: ficou algum evangelizando de fora ou deu para dividir toda a turma em grupos de três?
Então vamos desfazer os grupinhos e voltar para a grande roda. E o evangelizador anuncia: “Abraço de cinco!”. E os evangelizandos começam a formar grupos de cinco...
Abraço de um!”. Aqui todos devem ficar no mesmo lugar. Cada um abraça a si mesmo.

Abraço de todo mundo!”. Todos se abraçam numa grande roda. Abraço, firme e forte.

A Sacola Mágica - Apresentação

Com uma música alegre tocando, os evangelizandos deverão formar um círculo. O evangelizador deverá entregar a um deles uma sacola com perguntas, esse evangelizando deverá tirar uma pergunta, ler para o amigo que está ao seu lado direito ou entregar a um dos evangelizadores para que leia a pergunta para o amigo. Após a perguntar ser respondida, a sacola será entregue a quem responte, que deverá também uma pergunta, repetindo o processo. 
Seguindo assim até que todos tenham feito e respondido as perguntas da sacola.


1. Quantas pessoas têm na sua família?
2. Você tem irmão(s) ou irmã(s)? Quantos?
3. Você tem animal de estimação?
4. Você gosta de ouvir música espírita?
5. Que tipo de música você mais gosta?
6. Quem é seu melhor amigo?
7. O que você mais gosta de fazer no final de semana?
8. O que faz em seu horário livre durante a semana?
9. Você pratica algum esporte?
10. Você gosta de estudar? 
11. O que você quer ser quando crescer?
12. Você frequenta alguma Escolinha de Evangelização?
13. Você mora com quem?
14. Qual a matéria que você gosta mais de estudar?
15. Diga algo que você aprendeu nas aulas de evangelização.
16. Que idade você tem?
17. Você estuda aonde?
18. Onde você mora?
19. Qual centro você frequenta?
20. Você fala para seus amigos que é espírita?



A Cor do Abraço - Quebra Gelo

Com uma música alegre tocando, entregar a todos os evangelizandos papeizinhos com a palavra BRANCO escrita, pedir para que não mostrem nem falem a ninguém qual é a sua cor. Explicar que serão faladas diversas cores e quem tiver a cor falada, deverá levantar e dar um abraço no colega que tenha a mesma cor. Como em todos os papeis estará escrito apenas BRANCO e os evangelizandos não saberão disso, ficarão esperando que seja falada a cor que esta em seu papel. Os evangelizadores falarão diversas cores como: amarelo, azul, vermelho, rosa, até que a palavra BRANCO seja falada e todos se abracem.

Esbarrando no Colega - Quebra Gelo

Ao som de uma música animada, o evangelizador solicitará aos evangelizandos que fiquem de pé e caminhem, aleatoriamente pelo espaço. 

O evangelizador deverá usar sua criatividade para comandar o grupo por meio de orientações: 
- aumentar o ritmo, andando mais rápido, 
- andar de costas pelo espaço, em forma de “L” para a direita, 
- andar de costas pelo espaço para a esquerda, etc. 

Enquanto a atividade ocorre, os evangelizandos vão se esbarrando, rindo e interagindo.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Eu sou assim - Apresentação

Disponibilizar contornos do corpo humano em papel, roupas de tecido, lápis de cor, giz de cera, cola e folha de papel A4 para que cada um faça seu autorretrato. Quando todos tiverem terminado, cada evangelizando deverá se apresentar falando um pouquinho de si mesmo, contando como é sua família, coisas que mais gosta, coisas que não gosta, etc. As evangelizadoras devem conduzir esse momento e aproveitar para anotar algo que considere relevante para o perfil do evangelizando. Para finalizar, colar na parede da sala formando um painel.




Cartazes das Músicas

É só imprimir, colorir e enfeitar a sala.






















Nossas Músicas 2016

Esse ano demos uma repaginada nos cartazes das músicas da sala. Acrescentamos outras músicas às que já estávamos habituados a cantar no início e no final das aulas. 




Desenhando o seu coração

Após contar a história "O Coração mais Bonito", a companheira Carolina Higino aplicou a seguinte atividade: entregou a cada evangelizando o contorno de um coração em 1/2 folha A4. Distribuiu um só tipo de material para cada um (cabelo de celofane, papel seda rosa, papel azul, papel de bala amarelo, celofane azul, celofane rendado, papel verde, papel vermelho, lã, algodão, etc.), eles foram interagindo, trocando pedaços do seu material por pedaços do material do outro. Depois, cada um fez uma colagem do seu coração, usando os pedaços do seu material recebido que sobrou, e os pedaços de material que foi trocado com os amigos.

Esse foi o resultado final da atividade.

O Coração mais Bonito

Essa história foi utilizada na aula da companheira Carolina Higino, ela usou fantoches para contá-la.

Narrador(a): Um jovem estava no centro da quadra, proclamando:

Coração brilhante: - Eu tenho o coração mais belo! Não há nenhuma marca, nenhum defeito! Pulsa com perfeição e harmonia! Ouçam as minhas batidas! (sonoplastia:som da batida do coração)

Narrador(a): Uma multidão o cercou e todos admiraram o seu coração. Não havia nenhum arranhão se quer. Todos concordaram que aquele era o coração mais belo que já tinham visto.
(sonoplastia: Ohhhhhhhhhhhhhh!!! Os outros evangelizadores puxam ao fundo, incentivando os evangelizandos a repetirem)

Narrador(a): O coração brilhante ficou muito orgulhoso. De repente, um velho coração remendado apareceu diante da multidão e disse:

Coração remendado:- Ah! Ah não! O meu é muito mais belo. Por que o coração brilhante é mais bonito que o meu?

Narrador(a): A multidão e o coração brilhante olharam para o coração remendado, que estava batendo com vigor. (sonoplastia:som da batida do coração)

Nesta hora o coração brilhante fala indignado:
Coração brilhante: - Olha quantas cicatrizes! Que absurdo!!! Olha ali! E ainda tem locais que faltam pedaços! Tem partes que não se encaixam direito!! Quanta coisa irregular! Quanta coisa feia!!! Ai ai... O senhor deve estar brincando!
Compare nossos corações?! O meu está em perfeito estado e o seu é uma mistura de cicatrizes e buracos!

Coração remendado: - Sim. Olhando assim, o seu coração parece perfeito, mas eu não trocaria o meu pelo seu!  Veja, cada cicatriz representa uma pessoa para qual eu dei o meu amor!
Tirei um pedaço do meu coração e dei para cada uma dessas pessoas. Muitas delas deram-me também um pedaço do próprio coração para que eu colocasse no meu, mas, como os pedaços não eram exatamente iguais, há irregularidades. Foram momentos tão bons...
Eu gosto de cada pedacinho! Porque me fazem lembrar do amor que compartilhamos. Algumas vezes, dei pedaços do meu coração a quem não me retribuiu. Por isso, há buracos. Um dia eles serão preenchidos. Agora você entende o que é a verdadeira beleza?

Narrador(a): O coração brilhante ficou calado e lágrimas escorriam pelo seu rosto. Ele aproximou-se do coração remendado. Tirou um pedaço de seu perfeito e jovem coração e ofereceu ao velho, que retribuiu o gesto.

O coração brilhante olhou para o seu coração, não mais perfeito como antes, porém mais belo que nunca.

Contação de história com fantoche.

Os evangelizandos atentos.

Ouvindo e olhando com atenção.
Os fantoches de TNT e cartolina.
Coração remendado.

Coração brilhante.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

O Jardim das Virtudes - Atividade

Disponibilizar palitos de picolé (pintados com giz de cera) e forminhas de doce de vários tamanhos e cores. Pedir para que cada um dos evangelizandos confeccione uma flor e no miolo da flor escreva uma virtude que acha que deve desenvolver, para auxiliar na sua evolução espiritual. 

Quando todos terminarem, confeccionar, todos juntos, uma maquete de um jardim usando as flores feitas por eles e com graminha de papel crepom picado.






O Jardim das Virtudes - Teatro de Fantoches

Narrador: O pequenino Rafael estava surpreso e sentia-se muito feliz. Olhava a sua volta, encantado!

(entra o fantoche do Rafael olhando em volta)

Narrador: Que lugar lindo! Tudo era harmonia no caminho onde passava! Árvores frondosas e a grama macia e verde davam ao lugar uma aparência muito bonita.
Os passarinhos cantavam alegremente e as borboletas voavam enfeitando a paisagem.
Onde estaria Rafael? Que lugar seria aquele? Enquanto pensava, ouviu uma voz...

(entra o fantoche do Amigo)

Amigo: Rafael seja bem vindo! Venha comigo Rafael...

Rafael: Olá! Mas quem é você?

Amigo: Rafael, eu sou seu amigo...

Rafael: Que lugar é este?

Amigo: Aqui é a Terra dos Sentimentos e nós vamos visitar o Jardim das Virtudes

(entram os fantoches das flores)

Narrador: Quando Rafael e o amigo entraram no Jardim das Virtudes as flores começaram a declamar um lindo poema.

Flores: “Nós somos as florzinhas de um jardim cheio de luz, a Terra é o canteiro o jardineiro é Jesus...”

Narrador: Rafael sorria alegremente, pois achara lindo o poema que acabara de ouvir. Rafael vê muito curioso um grupo de folhagens verdes... Que possuíam nomes diferentes que Rafael não conseguia entender. Uma é PACIÊNCIA, outra é GRATIDÃO mais outra HUMILDADE... Porque elas teriam esses nomes? Vamos ouvir o que elas nos têm a dizer?

PACIÊNCIA: Perante as provas da vida
Maior que toda ciência
O que nos guarda e conforta
É a lição da paciência.

GRATIDÃO: Nosso nome é GRATIDÃO
Que ao Pai sempre agradece
O nosso lar a reencarnação
A glória e bênção de nossas vidas.
O meu coração que te guarda
Esquece o mal e a reclamação
Perdoa a todos e ajuda ao irmão
Levando à evolução.

HUMILDADE: Rafael, querido amigo,
Somos as flores da HUMILDADE
As divinas mensageiras
Desta sublime verdade
Tudo que temos e somos
Desde o nosso nascimento
São bênçãos do Criador
Para o nosso crescimento.

Narrador: Que surpresa mais uma vez elas falaram!
Rafael continua o seu passeio e agora vê um pequeno grupo de flores amarelinhas e para admirado diante delas quando elas percebendo a sua presença falam...

FRATERNIDADE: Fraternidade palavra tão bonita!
Fraternidade é mudar o coração
Fraternidade que o mundo necessita.
É ser irmão do seu irmão.
Tudo e todos pela vida
Sem ter mais gente excluída
No banquete que nos dá Jesus
Caminho e Verdade, vida e luz!

Narrador: Sim, são flores da fraternidade. Rafael então entendeu que a fraternidade era irmã da caridade e do perdão.
E continuando a observar a sua volta Rafael descobre agora pequeninas flores azuis. Ele fica encantado e cada vez mais feliz, pensa:

Rafael: Como será que chamam estas lindas flores azuis?

Narrador: E as flores responderam:

Disciplina e Alegria: Vivemos sempre sorrindo
Estamos sempre contentes
Espalhamos felicidade
Onde estamos presentes
Paz e ordem inspiramos
Nas bênçãos de cada dia
Vocês sabem quem nós somos?
DISCIPLINA E ALEGRIA.


Narrador: Tratam-se das flores da DISCIPLINA E ALEGRIA.
Caminhando um pouco mais encontrou as flores brancas que também tinham alguma coisa para lhe falar, vamos ouvir?

Flores Brancas da Paz: Sonho tão bonito
Onde todos são amigos
Paz Universal onde não haja excluído
Paz que faz que ame o meu irmão
Nos faz cristãos nos une as mãos
Paz e alegria amor e harmonia
São coisas que trago nesta encarnação
E que farão amar o meu irmão
Que a paz nasça em mim
Que ela nasça em ti
Nasça entre os povos
Plantemos então a grande missão do Brasil na Evangelização.

Narrador: Rafael não sabia que o Brasil tinha uma missão tão importante!

Amigo: Rafael você se lembra da Parábola do Semeador, que Jesus contou?

Rafael: Claro que sim, as sementes da parábola são os ensinamentos de Jesus.

Amigo: A terra fértil representa o nosso coração.

Narrador: Rafael entendeu que fazendo o que Jesus nos ensinou transformaremos nosso coração em um JARDIM DE VIRTUDES.

Narrador: Rafael está deslumbrado e pergunta ao amigo

Rafael: Que lugar é este amigo? Onde fica este jardim onde estamos?

Amigo: Rafael,esse lugar fica pertinho... Esse jardim está em seu próprio coração...

Narrador: Rafael entende agora que para atingir o AMOR é preciso andar um longo caminho,que nem sempre é de flores,mas se usarmos o caminho das virtudes é certo que alcançaremos o amor, pois ele resume toda a doutrina de Jesus. A vivência do amor é a ação modificadora do ser espiritual que existe em nós, capaz de evangelizar toda a Terra.
Tem o Brasil grande tarefa neste sentido.



Semeando - Parábola do Semeador

Mostrar em um cartaz diferentes fases do plantio de uma plantinha. Ressaltando que toda semente leva um tempo mais ou menos longo para germinar, brotar e florescer ou frutificar.



Disponibilizar terra, embalagem de “chambinho” (por causa do formato de coração, mas pode ser um outro potinho - não esquecer de fazer um furinho para a água escoar), sementes de girassol e água. Propor o plantio, ressaltando que devemos ter paciência, cuidado e muito carinho para que nossa plantinha germine.

Após o plantio os evangelizadores deverão entregar uma plaquinha feita com meio palito de churrasco e um coração para que os evangelizandos coloquem seu nome e fixem no vasinho.




Os Diferentes Solos - Parábola do Semeador

Em um lado da sala, dispor em caixas, diferentes tipos de solo. Ex.: Pedras, argila, areia e um representando o solo fértil. 


No lado oposto, dispor também em caixas, diferentes tipos de sementes. Ex.: Girassol, alpiste e painço.




Deixar que os evangelizandos toquem os solos e notem as diferenças físicas entre eles. Enquanto fazem isso os evangelizadores vão fazendo alguns questionamentos sobre essas diferenças comparando com nossas vidas.

1 - Para você o que significa ser um solo pedregoso?
É aquele que presta atenção no início, mas conversa, brinca se distrai, qualquer outra coisa tira a sua atenção. Essa pessoa não tem vontade firme.

 2 - Para você o que significa ser o solo entre os espinheiros? 
É quem frequenta a evangelização, assiste às aulas, mas quando chega em casa não faz nada do que aprendeu. Esquece tudo e não pratica nada. Diz que faz, mas não faz.

3 - Para você o que significa ser o solo fértil? 
É quem ouve, presta atenção e esforça-se para colocar em prática o que aprendeu, procurando ajudar os outros com o conhecimento que já adquiriu.

4 - Que tipo de solo você tem sido? Por quê?

5 - É mais fácil ser um solo pedregoso ou entre os espinheiros do que ser um solo fértil?

6 - Você acha que solo fértil já nasceu fértil, trouxe uma bagagem de vidas anteriores?
Sim, através das sucessivas reencarnações foi se aprimorando, se melhorando e encontra-se preparado para multiplicar e dividir os ensinos que recebe.

7 - É possível, em uma única encarnação, transformar um solo pedregoso ou um solo entre os espinheiros em um solo fértil?

8 - O que é necessário para nós sermos o solo fértil?

9 - Como devemos trabalhar a terra do nosso coração para essa transformação?

10 - Vale a pena nos esforçarmos para sermos um solo fértil?

Depois deixar que toquem as sementes e notem as diferenças físicas entre elas. Enquanto fazem isso os evangelizadores vão fazendo alguns questionamentos sobre essas diferenças comparando com nossas vidas.

1 - O que representa a  semente que caiu ao longo do caminho?
Representa os ensinamentos que são dados àqueles que ouvem e não dão importância, que não prestam atenção em nada na hora da evangelização.
Esses ensinamentos ficam perdidos pelo caminho, são pisados, comidos pelos passarinhos.

2 - Jesus foi o Grande Semeador, você acha que Jesus ainda está semeando aqui na Terra?

3 - Você acha que existem pessoas semeando em nome de Jesus?
Nossos pais, professores, evangelizadores, etc.

4 - Nós podemos ser também um semeador como Jesus?
Sim, para ser um bom semeador, precisamos apenas possuir as boas sementes.

5 - Quem tem jogado as sementes no seu coração?

6 - Na sua vida, quais sementes você pode lançar?



A Flor da Conduta

Usamos para trabalhar as regras de convivência, mas pode ser usada também com outros temas. A ideia é montar um mural com uma flor contendo as regras escritas em suas pétalas. 

Iniciamos com os questionamentos:

- Por que devemos seguir regras? Para melhor vivermos em sociedade.

- As regras que existem são as mesmas em todos os lugares? Algumas são básicas e servem para todos os lugares, mas outras são específicas.

- As regras vão mudando com o passar do tempo? São sempre as mesmas, apenas se aprimoram.

- Quais são as normas de conduta que devemos seguir na casa espírita?
Aguardar que respondam e depois solicitar que cada evangelizando por vez pegue uma norma, em forma de pétala, de dentro de uma sacola, leia em voz alta e diga o que acha sobre regra descrita na pétala. Dialogar a respeito de cada norma. Pedir para que colem no mural a norma em forma de pétala, formando o mural da flor da conduta. Usamos sementes para o miolo.



quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Cuidado, Marimbondo Zangado!

Narrar à história: "Cuidado, Marimbondo Zangado!".





Após a narrativa, dialogar com os evangelizados sobre o que entenderam da história, mostrando que nós somos como o marimbondo, ouvimos os ensinamentos, mas às vezes precisamos das dificuldades para aprender, no entanto não precisa ser assim, podemos nos modificar sem precisarmos delas, basta termos vontade e nos esforçarmos.


Apresentar um cartaz com o desenho do marimbondo zangado de um lado e do marimbondo transformado do outro lado. Disponibilizar figuras de pessoas agindo de forma agressiva, egoísta, amável e caridosa. Um evangelizando de cada vez deve escolher uma figura, identificar se a atitude representada na figura escolhida corresponde ao marimbondo zangado ou ao marimbondo transformado, depois, deverão colar a figura escolhida no cartaz, em volta do desenho do marimbondo correspondente, até que as figuras disponibilizadas tenham terminado. 



Com o cartaz montado, fazer uma reflexão, mostrando que podemos nos esforçar para modificar nossa atitude, buscando sempre agir como verdadeiros cristãos, fazendo sempre o bem.


Vale x Não Vale - regras de convivência

Iniciamos uma conversa com os evangelizandos sobre o que é necessário e o que podemos fazer para tornar a nossa convivência a melhor possível. Estimular a discussão sobre os limites, os direitos e as obrigações de cada um individualmente e de todos na sala como sociedade. 

Utilizando figuras das atitudes, fomos estipulando quais atitudes não devemos ter, ou seja, atitude que NÃO VALE e quais as atitudes que devemos ter, que VALE.

As figuras formaram pares das regras para uma convivência harmônica, assim, sempre que uma atitude/regra era estabelecida, ficava automaticamente reforçada, com a sua oposição. 

Montamos um quadro com as figuras em uma cartolina, determinando o que vale e o que não vale. 

O quadro foi fixado na parede da sala para ser consultado sempre que necessário. 


Quebra-cabeça do ENEFE

Começamos essa atividade perguntando quem estava participando pela primeira vez de um ENEFE. Demos boas vindas e explicamos o que o ENEFE é o Encontro Estadual da Família Espírita, que tem o propósito de trocar experiências, estudar e vivenciar a Doutrina Espírita através de dinâmicas, estudos do evangelho e muito mais... 

Informamos que o tema de 2016 era "Desafios da Vida: Estamos vivendo como cristãos?" e que o objetivo geral do encontro era colocar em prática os conhecimentos doutrinários, agindo como homem de bem na família e no mundo, realizando o autoconhecimento e a reforma íntima para superar os desafios da via.

Entregamos a cada evangelizando uma peça grande (A4) de um quebra-cabeça, para que escrevessem, desenhassem ou fazessem uma colagem, demonstrando o que significa o ENEFE para cada um. Para isso, disponibilizamos canetas hidrocores, lápis de cor, giz de cera, figuras (pessoas confraternizando, abraçadas, felizes, diversos tipos de famílias, grupos de estudo, etc.), palavras retiradas de revistas (amor, amizade, família, Jesus, Fé, etc.) e cola

As peças foram coladas em uma cartolina, montando o quebra-cabeça que foi fixado na parede.

O mais legal foi que cada peça ficou de um jeito e um evangelizando virou a sua e fez a definição no verso, na hora de montar a peça não encaixou totalmente. Fizemos uma reflexão mostrando que cada um é de um jeito, cada família é de um jeito, algumas se encaixam logo, outras tentam se encaixar, mas no final vemos todas fazem parte de uma grande família, a Família Universal, a Família de Deus.