Google+ Followers

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Chá Literário - Parábola da Festa de Núpcias - Jardim

A aula desse sábado (14/04) foi minha. Expliquei que estávamos comemorando o "Dia do Livro Espírita", que é dia 18/04, mas como a gente não ia ter evangelização, antecipamos a comemoração. Até enfeitamos o corredor e nossa sala.




Utilizando dedoches, mostamos que o Livro é um Tesouro , contando uma adaptação da história “A Abelha, A Formiga e um Tesouro” de Elza Pereira Dalla Costa.



Esse ano escolhi o Evangelho Segundo o Espiritismo, para mostrar que é nele que encontramos os ensinamentos de Jesus, pois estamos estudando a Segunda Revelação. Confeccionei um para introdução da aula, que fez o link com a Parábola da Festa de Núpcias, escolhida para trabalhar em sala.

Após a leitura da parábola, para que os evangelizandos pudessem compreender o conteúdo, dialogamos com eles, mostrando que não basta sermos convidados, não basta nos sentarmos à mesa para tomar parte no banquete celestial é necessário que estejamos vestido com a túnica nupcial. Essa é a condição para participarmos da festa no plano espiritual. A túnica é uma roupa especial, que nada tem a ver com essas roupas que estamos usando e que compramos nas lojas. A túnica é construída com as nossas atitudes de amor a Deus, a nós mesmos e ao nosso próximo. É a roupa do Espírito. Ou seja, precisamos ter puro o nosso coração e cumprir as leis de Deus, amando o nosso próximo e tratando-o como um irmão.

Incentivamos os evangelizandos a dizerem, sem mentir, algum defeito que possuem e que precisa ser melhorado. Dar alguns exemplos para ajudar: alguns relaram que fazem malcriação, brigam com os irmãos, deixam seu quarto bagunçado e os brinquedos espalhados, mexem em coisa na casa que não deviam, falam palavrão, gritam, etc. 

Entregamos a cada um, uma túnica feita em TNT branco.



Pedimos que desenhassem na túnica, usando giz de cera, atitudes contrárias às que relataram possuir, representando a purificação do espírito, explicando que só assim teriam a condição necessária para participar da festa no plano espiritual.











Enquanto os evangelizandos desenhavam, preparamos “o banquete” em um canto da sala, montando uma mesa com livros, suco e outras gostosuras; fixamos um papel com “Festa de Núpcias”. 




Quando todos terminaram de desenhar em suas túnicas, explicaram o desenho e tiveram permissão para participar da Festa de Núpcias. Antes de iniciar o lanche, fizemos nossa prece final, agradecendo ao Mestre por mais uma tarde tão proveitosa de aprendizado.










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, ele é muito importante para a avaliação do nosso trabalho!