Google+ Followers

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Parábola da Ovelha Perdida





Um pastor possuia um grande rebanho de ovelhas, eram 100 animais. De todas ele muito gostava, e cuidava delas com carinho e cuidado. O pastor era muito bom, bom mesmo; e jamais se cansava de procurar os melhores lugares para suas ovelhas pastarem; levava-as aos campos com bom pasto e às fontes, onde elas encontravam
água fresca e limpa.

Todas as tardes o pastor contava suas ovelhas, para ver se não faltava nenhuma.

Um dia, ao contá-las, que surpresa!!! ... Só havia noventa e nove! O pastor contou novamente. Afinal, poderia ter errado... Mas não, faltava mesmo uma ovelhinha.

O pastor ficou preocupado. Ele tinha medo que sua ovelhinha pudesse se ferir ou mesmo encontrar a morte ao cair de um barranco, se afogar...

O que ele fez? Pôs- se a procurá-la por todos os cantos. Nas encostas das rochas, nos barrancos, nos buracos...

Então, lá embaixo, sob pedras, avistou a ovelhinha que balia (gritava, chorava).
Por horas a fio o pastor trabalhou até que conseguiu salvar o animalzinho.

Como ela estava com a patinha ferida, ele a pegou no colo, levou-a até um riacho de águas fresquinhas e deu lhe de beber. Depois fez um curativo no ferimento, usando um pedaço da própria túnica!

E voltou com a ovelhinha no colo, andando muitas léguas, até novamente devolvê-la ao rebanho.

E o bichinho ia ali, naquele colo quentinho, feliz, apesar da patinha ferida. Ela reconhecia no pastor um fiel amigo.

Quando o pastor foi se aproximando do rebanho com a ovelhinha nos braços, todas as outras se aproximaram balindo (gritando, conversando na linguagem das ovelhas), alegre. Elas estavam felizes pela volta da companheira e por se sentirem protegidas pelo pastor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, ele é muito importante para a avaliação do nosso trabalho!