Google+ Followers

terça-feira, 17 de maio de 2016

Pagar o mal com o bem

Iniciar a aula contando a história "O bem com o bem se paga"

Após contar a história, dialogar com os evangelizando, pedir que contem o que entenderam da história que acabaram de ouvir, verificar se concordam com o que aconteceu na história, se o título da história corresponde ao que aconteceu. Perguntar o que é bem e o que é mal, concluindo que bem é tudo que está de acordo com as Leis de Deus e mal é tudo que desrespeita as Leis de Deus.


Lembrar que Jesus nos ensinou a Lei de Amor, nos ensinou a sermos misericordiosos, disse que devemos amar ao próximo como a nós mesmos, que devemos perdoar setenta vezes sete (sempre que formos magoados), que devemos perdoar os nossos inimigos, que devemos pagar o mal com o bem.

Amar quem nos ama é fácil, mas amar a quem nos prejudica é bem mais difícil, não é mesmo? Mas Jesus não nos pede para amar os inimigos com o mesmo amor que amamos nossos amigos, Ele sabe que ainda é muito difícil para nós. Jesus nos pede para não guardar raiva e ressentimento, nem desejo de vingança. Ele nos pede para perdoar o mal que nos fizerem, para estender a mão em caso de necessidade, para evitarmos prejudicar quem nos magoa. Jesus nos pede para retribuir o mal com o bem, Ele nos disse “retribuí o mal com o bem”.

Enquanto estamos encarnados temos a oportunidade de fazer o bem e de transformar situações que podem gerar inimizades, em amor. Podemos evitar fazer inimigos, por isso precisamos combater o mal que existe dentro de nós, precisamos combater nossas tendências de bater, de revidar, de falar mentiras, de ser briguento, de ser implicante. Se fizermos isso, só teremos amigos.

Ninguém é totalmente bom e nem totalmente mal, ainda somos aprendizes na vida, todos nós somos capazes de melhorar. E só melhoramos quando retribuímos todo o mal que nos fazem com o bem, tendo bons pensamentos e orando por aqueles que ainda praticam o mal.


Jesus deu o maior exemplo de amor. Ele amou até aqueles que O perseguiram e O crucificaram. Devemos perdoar quem nos magoa, esquecer toda ofensa que nos fizerem e orar por eles.

Perguntar aos evangelizandos se o final da história está de acordo com o que Jesus nos ensinou? 
Dos nove evangelizandos presentes em sala, somente um disse que o final não estava de acordo com o que Jesus ensinou, os outros oito disseram que a onça deveria continuar no buraco, pois ela era malvada, queria comer quem ajudou ela, mas a Maria Fernanda argumentou que isso não era atitude de amor, Jesus ensinou a perdoar e pagar o mal com o bem. Foi perfeito para o que havia sido planejado.

Questionar: Então qual deveria ser o final da história?
A própria Maria Fernanda disse que deveriam tirar a onça do buraco, a Olívia argumentou que a onça ia comer todo mundo, então o João Pedro observou que a onça tinha que pedir desculpas. Fomos dialogando, refletindo... Eu fiquei muito feliz porque minha turma é do Jardim (5 e 6 anos) e fizeram colocações perfeitas para a situação. Assim, pensaram em um outro final para a história.

Levei máscaras (da onça, do caipira e do macaco) e uma corda para que representassem um outro final para a história. Eles adoraram!!!













Propor essas três estrofes após o diálogo.

O moço que estava quieto
Para o macaco falou
- amigo vamos seguir
O que Jesus ensinou?

Pagar o mal com o bem
É a maior caridade
A dona onça merece
Uma nova oportunidade.

Jogaram o cipó novamente
Para a onça socorrer
A onça então aprendeu
Que só o bem deve fazer. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário, ele é muito importante para a avaliação do nosso trabalho!